domingo, 10 de março de 2013

Perda

deste eu
esvai-se ânimo,
virtude
pessoa
ser 
humano.

                       Poemeto anônimo encontrado em pedaço de papel na calçada.

2 comentários:

Manoel Almeida disse...

Bruna, foi você quem encontrou o pedaço de papel? Penso que ele encontrou você. Quão adequado o uso da palavra ânimo, que deriva de "anima" (alma, sopro). O ser humano se esvai. Ficam suas palavras, sua arte.

Bruna disse...

Encontramo-nos, caro Manoel. [Risos].

A sua observação do sinônimo primeiro e essencial da palavra "ânimo" completou o sentido do poema, sem dúvida.

E o que sugeriu como permanência, após o fim do ser humano, é fato e é o que de todo fim (trágico, bom, etc)importa.

Um abraço fraterno.