quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Clara Schumann


   Quem acessou a página do Google na última quinta, dia 13, e se interessou pelo Doodle do dia, viu que era dedicado ao 193º aniversário da compositora e pianista Clara Schumann - esposa do famoso Robert Schumann, também compositor e pianista alemão.
  Sem conhecer Clara, decidi ler um pouco da sua história e ouvir algumas de suas composições. Gostei de ambas experiências. Por isso, resolvi relatar alguns de seus dados biográficos e disponibilizar uma de suas obras no Brumas
   
   Clara Josephine Wieck (1819-1896), filha de dois musicistas, desde muito jovem aprendeu a técnica do piano com seu pai, Friedrich Wieck. Aos cinco anos de idade, já expirementava as imposições de disciplina de estudo de Wieck, e aos 13 anos, dava início à sua carreira, apresentando-se em vários palcos pela Europa. Destacaria-se não só pelas suas composições, mas também pela performance de compositores como Chopin e Carl Maria Von Weber.
   Na adolescência, conhece Robert Schumann, então aluno de piano de Wieck, seu pai. Robert e Clara iniciam um relacionamento e quando Wieck descobre o envolvimento da filha com Schumann, proíbe a relação, porque Schumann tinha problemas com fumo, bebida e crises depressivas. A proibição do relacionamento chega às disputas no tribunal, e apenas quando Clara faz 21 anos, consegue permissão para ser desposada.
    Casada com Schumann, ela praticamente abandonaria sua atividade como pianista para passar a interpretar e divulgar a obra do marido. Enquanto casal, chegaram a compor juntos, mas por pouco tempo, pois Clara teria que abdicar da profissão por causa das oito gestações e das constantes crises nervosas de Robert, que acabavam por obrigar Clara a assumir as responsabilidades familiares sozinha. A pior das crises de Schumann, por fim, levou-o a ser internado em um manicômio por dois anos, depois dos quais viria a morrer e deixar Clara e os filhos sozinhos definitvamente.
    Clara Schumann somente voltaria a compor e dar concertos a partir da sua amizade com o famoso Brahms. Foram anos de colaboração e amizade que fariam os últimos anos de vida de Clara serem marcados por uma brilhante carreira como professora e pelo reconhecimento como concertista.

     Uma das mais belas composições de Clara Schumann intitula-se: Concerto para piano em lá menor, Op. 7 (de 1835). Disponibilizo-a abaixo.


   

2 comentários:

Lívio disse...

Oi, Bruna. Obrigado pela divulgação.

Sua postagem, devido ao conteúdo e à obra postada, fez com que eu me interasse pela compositora. Valeu.

Abraço.

Bruna disse...

Prezado, Lívio, bom demais tê-lo por aqui!

E legal que tenha se interessado pela Clara Schumann e sua composição.
O que tenho mais a dizer é: perca alguns minutos conhecendo outras canções dela.

Um grande abraço.

P.S.: Muito obrigada pela atenta gentileza de corrigir os meus dois deslizes ortográficos ("musisista" e "entitula-se"). Obrigadíssima.