segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Sonhos



   Akira Kurosawa, o grande cineasta japonês, é um celebrador da vida vivida de maneira mais simples e preenchida de valores humanos. 


   Sempre cuida para colocar em cena imagens e sons de alta sugestão poética, bem como um nobre personagem que tem a ofertar, seja em palavras ou em gestos, uma sábia mensagem. Se clama pelo amor, o carinho, a amizade, o respeito, a simplicidade, Kurosawa faz isso da forma mais sutil e bela. 


   Um naco admirável do seu cinema poético e ético é o filme Sonhos ("Yume", Japão, 1990), essencialmente, o último sonho dos oito que compõem o filme. Assista-o através dos links abaixo. [Desta vez, algo impediu que os vídeos escolhidos fossem disponibilizados diretamente aqui, então, por favor, conferia-os clicando, seguindo a sequência, nos links].


http://www.youtube.com/watch?v=VgGonLoUrJM

http://www.youtube.com/watch?v=O4luAERr3IY

2 comentários:

Chris Rocha disse...

Oi Bruna!
Boa pinçada cinematográfica. Kurosawa é pra lá de bom. Não sou "expert" do trabalho dele (aliás, não sou expert em nada, só curiosa mesmo!), só assisti , além deste, Ran e Derzu Uzala. Pra quem não tá acostumado, os filmes podem parecer um pouco "arrastados". Mas se insistirmos um pouco, vale a pena, né? Ouvi dizer que era o próprio Kurosawa quem desenhava as cenas dos "story-boards" e que houve uma exposição (não sei se no Japão ou fora de lá) destes desenhos.

Abraço afetuoso (c/ saudades!),

Chris.

Bruna disse...

Chris,

já faz um tempão que estou com vontade de conferir o filme "Ran" do Kurosawa - cujo roteiro é baseado na peça "Rei Lear" do Shakespeare -, mas não acho esse filme em locadora. Quanto ao "Derzu Uzala", conferi há pouco tempo, junto com outro filme que achei brilhante: o "Dodeskaden", o qual, se você ainda não conhece, indico.

Não sabia dessa notícia que o Kurosawa quem desenhava seus storyboards. Mas, também não é de se surpreender que ele assim o fizesse, visto que curte dirigir e escrever, com minuciosidade, seus filmes. Renderia uma interessante exposição esse trabalho dele, em?!

Um abração fraterno.