sábado, 15 de outubro de 2011

À Aldous Huxley e H. G. Wells






Cérebro Eletrônico
Compositor: Gilberto Gil

O cérebro eletrônico faz tudo,
Faz quase tudo
Mas ele é mudo.

O cérebro eletrônico comanda
Manda e desmanda
Ele é quem manda
Mas ele não anda.

Só eu posso pensar
Se Deus existe
Só eu.
Só eu posso chorar
Quando estou triste
Só eu.

Eu cá com meus botões
De carne e osso
Eu falo e ouço
Eu penso e posso.

Eu posso decidir
Se vivo ou morro por que
Porque sou vivo
Vivo pra cachorro e sei
Que cérebro eletrônico nenhum me dá socorro
No meu caminho inevitável para a morte.

Porque sou vivo
Sou muito vivo e sei
Que a morte é nosso impulso primitivo e sei
Que cérebro eletrônico nenhum me dá socorro
Com seus botões de ferro e seus olhos de vidro.


2 comentários:

Lívio disse...

Bruna, e o legal é que o próprio Gil compôs "Pela internet", uma ode à própria.

Bruna disse...

Bem lembrado, Lívio.

Abraços.